domingo, 29 de maio de 2016

O que é Midi? Como usar suas funções?



Quantas oportunidades os tecladistas têm de customizar seu instrumento e som para além dos presets, dos timbres-padrão dos arranjadores, dos caríssimos módulos ou dos complicadíssimos sintetizadores? Desde que os controladores vieram, junto com a interface “computador-teclado”, mediada pelos cabos Midi, apenas o céu tem sido o limite para os tecladistas e fãs do instrumento. Trata-se das funções Midi (Musical instruments digital interface – Interface digital para instrumentos musicais), que conectam o teclado ao computador pessoal oferecendo recursos que vão desde gravação de músicas, edição de partituras, até remodelação total dos Timbres!

Com o desenvolvimento da tecnologia dos anos 60 pra frente, os teclados conheceram sintetizadores, órgãos eletrônicos, sequenciadores e pianos digitais. Com o tempo, arranjadores, criadores de ritmos, placas de expansão e módulos apareceram. Mas o grande problema dos teclados é que, diferentemente dos outros instrumentos, eles sempre existiram de forma “terminada”, com poucas chances de serem customizados. Até os módulos, que eram concebidos como uma forma de customizar o instrumento, possuíam suas funções limitadas, sendo necessário grandes racks para comportar todos eles, sem falar no alto custo de aquisição dos mesmos.

Rack dos módulos Moog
Rack dos módulos Moog
Mas logo surgem os computadores pessoais e, para o mundo da música, a interface Midi, conectando o teclado ao computador e inovando as possibilidades musicais! Oferecendo recursos que vão desde gravação de músicas, edição de partituras, até remodelação total dos Timbres, um bom aproveitamento dos recursos Midi pode facilitar (e muito!) a vida do tecladista.

Mas afinal, o que é o Midi?


O Midi é, basicamente, uma informação. As saídas de áudio convencionais, por exemplo, enviam frequências do teclado aos receptores de som (mesas, caixas acústicas, pré amplificadores). Já o Midi, diferentemente das saídas de áudio, envia uma informação, ao invés de uma frequência. Essa informação pode ser manipulada e traduzida como o receptor dela bem entender – traduzida, inclusive, para frequências diferentes, timbres diferentes, ou sons completamente aleatórios!


O princípio para desvendar as possibilidades do Midi é a aquisição do cabo Midi/USB ou uma placa de som com entrada midi. A seguir, listamos as principais possibilidades para aproveitamento da tecnologia:
Um dos usos mais comuns na década de 80 (com vestígios nos dias de hoje) é os módulos.  Desenvolvidos pela Roland, Yamaha, Korg, Kurzweil (entre outros), foram os princípios da manipulação do teclado sem ter que trocar de instrumento. Ainda são usados nos dias de hoje, pelo seu estilo vintage e prático, porém são caros e, por isso, tendem ao desuso.

Outro aproveitamento está na possibilidade da conexão entre teclados. Se você quer abusar das funções do seu arranjador, nada mais prático do que você conectar um cabo Midi na saída de um controlador e na entrada do seu arranjador. Seu controlador enviará informações das teclas para o arranjador, e este as traduzirá em forma de sons, podendo trabalhar com timbres diferentes sob um mesmo teclado!
Uma forma que está ganhando espaço nessa segunda década do milênio é a manipulação de informação midi pelos iPads e iPhones. O teclado é conectado no iPad por uma interface, e este processa as informações, traduzindo-as em diferentes (e até infinitos) timbres. Essa interface permite, inclusive, gravação e sequenciamento de som (em nível semi-profissional).

Mas, de todas possíveis, a forma mais comum de utilizar a tecnologia Midi tem sido a gravação de som em home Studio, através de softwares multipista, que recebe a informação do teclado e a manipula na intenção da música. É possível gravar uma orquestra inteira com apenas um teclado e um bom programa. Os programas mais comuns são: Ableton Live, Sonar Producer, Cubase. Cada um com seus pontos fortes e particularidades, mas todos com um bom desempenho no resultado final!

Estas são as possibilidades. O bom músico sabe trabalhar com todas elas ao mesmo tempo, tornando qualquer controlador de 42 teclas um verdadeiro espetáculo! Conheça esse universo, adquira seu cabo midi e sua interface!