quarta-feira, 31 de maio de 2017

Conheça os diferentes tipos de teclado: Arranjador, Sintetizador, Workstation, Piano Digital e Controlador.

Um dos instrumentos mais utilizados atualmente, o teclado desperta tanto o interesse de quem ainda não conhece a linguagem musical, quanto de quem já conhece e deseja diversificar seu próprio universo musical pela flexibilidade e diversas possibilidades que o teclado oferece no mundo da música, pois oferece uma maior gama de timbres e possibilidades, podendo interpretar desde o piano clássico ao jazz, fusion, funk.
Para conhecer um pouco mais esse universo repleto de possibilidades que resulta sempre em diferentes arranjos, é bom saber que os teclados são encontrados em vários tipos:
Arranjador: são bem populares no Brasil e possuem diversos ritmos, timbres e estilos de acompanhamento musicais (pop, jazz, rock, entre outros), que são acompanhados pela parte rítmica de outros instrumentos como bateria, baixo, string, metais e cordas. Estes instrumentos normalmente já possuem programas instalados que facilitam o ensino e descomplica a utilização do equipamento, proporcionando uma experiência interessante devido aos recursos oferecidos, principalmente para quem é iniciante. Neste seguimento, há o teclado arranjador semi e o profissional, este último utilizado por músicos mais experientes e que ganham a vida apresentando-se sozinhos. Músicos gospel também o utilizam por estas facilidades, além de apresentarem unidade de memória externa e diversas opções para criação musicais, como os timbres e acompanhamentos.

arranjador
Sintetizador: este modelo foi desenvolvido para produzir sons de maneira artificial. Para entender um pouco a diferença entre esses dois modelos de teclados, pode-se dizer que, enquanto o teclado arranjador é uma espécie de especialista em ritmos e acompanhamentos, um sintetizador é o mesmo em timbres. O som sintetizado é diferente da gravação de um som natural, até mesmo pela forma como esses dois tipos de sons são produzidos: um por correntes elétricas e o outro por energia mecânica. É o mais utilizado em apresentações ao vivo pelos conjuntos.

sintetizador
Workstation: os teclados chamados Workstation são instrumentos mais complexos, oferecem a síntese de sons e sequenciadores que se destinam à composição e arranjos de partes musicais ou músicas completas. Em resumo, podem ser vistos como um sintetizador com seqüenciador interno. Você consegue produzir uma música inteira sem precisar de nenhum outro instrumento. Utilizados amplamente em estúdio, também são ideais para palcos maiores.
workstation
Pianos digitais: são desenvolvidos basicamente para produzir sons de piano, sendo o único que reproduz com fidelidade o timbre e a ação de martelo dos pianos, como em um acústico. Mantém a produção musical arquivada digitalmente em sua memória, além de também oferecer alguns recursos dos sintetizadores e arranjadores, como marcação de tempo e “split” de vozes (duas ou mais vozes tocadas ao mesmo tempo).
piano digital
Controladores: com números diferentes de teclas, grande parte desses instrumentos não possui timbres definidos e tem como objetivo principal controlar outros instrumentos musicais digitais através de MIDI. Possui uma grande diversidade analógica, sendo as funções dos botões definidas pelo usuário. É essencial para gravações e mixagem de estúdio.